Café com Software Livre – Testemunho

Parte da equipe do Buteco Open Source esteve no Café com Software Livre, neste final de semana que passou. Daremos aqui uma visão geral sobre o evento.

O propósito do evento é fortalecer o software livre e correlatos, integrando os grupos com este mesmo objetivo no estado de Santa Catarina, mas isto não quer dizer que outros não possam vir 😉 . Como este evento é organizado pelo pessoal do Blusol, normalmente acontece em Blumenau ou região, neste ano foi na cidade de Indaial.

Cá entre nós, ele também serve para mostrar que não vivemos só da Oktoberfest, só que este evento é regado pela cafeína e frequentado por Nerds 🙂

Mas, agora falando dos acontecidos, a entrada para o evento iniciou às 8 horas. Após estarmos devidamente credenciados, nos direcionamos imediatamente ao saguão do Welcome Coffe. Lá, tínhamos acesso àquela poção druida que nos tira do modo zumbi, o café, acompanhado de um lanche, ambos inclusos no preço de inscrição do evento.

A palestra de abertura, foi às 9:00, “Nós queremos você para a Comunidade do Software Livre”, demonstrou porque e como participar de um projeto de software livre, e falou também, de ferramentas onde procurar projetos de seu interesse.

As apresentações tinham em média 50 minutos e um intervalo médio de 10 minutos para a troca dos palestrantes, enquanto isso, Cafééééé…

A segunda palestra, “Git, Github e Gitflow” nos demonstrou, sem enrolação, como fazer um fluxo de trabalho organizado utilizando qualquer ferramenta derivada do Git. Assim descobrimos que, normalmente fazemos tudo errado, ou quase.

A apresentação de Fernando Masanori, “Python para Zumbis”, foi a última da manhã, e nos colocou numa perspetiva diferente sobre o Python, o sucesso inesperado do seu curso online, com o mesmo nome da palestra, nos demonstrou a facilidade com que pessoas sem conhecimento técnico tem de aprender e divulgar a linguagem, até aposentados. De canja, apresentou o mercado de trabalho mundo afora.

No período inicial da tarde, não assisti as apresentações “Monitoramento dos Serviços de TI com Zabbix” e “Stack Open Source para o Desenvolvedor Profissional”, aproveitei para ampliar meu network e tomar uma água, para não sobrecarregar os rins com tanto café.

O escritor e programador Aurelio Jargas fez sua aparição no evento falando de “Expressões Regulares”, palestra técnica introdutória e desmistificadora. Demonstrou o que é, como funciona, onde, como usar e como não usar. Apresentou ferramentas que usam e outras para teste das expressões. No fim, sorteou um de seus livros e fez um breve comentário sobre uma nova edição que está no forno.

Não podia deixar de falar no intervalo da tarde, por 30 minutos, café, conversas com os palestrantes, café, lanche, café e antes da próxima apresentação, café…

Reiniciando o ciclo de palestras, “Conhecendo o Docker” esclareceu um pouco mais sobre esta ferramenta, foi dito o que é verdade e mito sobre ela, também. Observação do palestrante, muita gente ainda pensa que se trata de um aglomerador de máquinas virtuais.

Para finalizar o dia, a palestra surpresa foi com o Sergio Cioban, este que foi o único palestrante que havia participado de todas as edições deste evento, nos motivou falando um pouco de sua trajetória até chegar à Amazon (contratado neste ano), sendo disputado por Google e Facebook, mesmo tendo sido rejeitado por overskill (excesso de habilidades) pelo Google na primeira vez. Fechou o evento com duas mensagens claras, é possível ganhar dinheiro com software livre mas não roube nada, devolva para a comunidade suas alterações,  não crie expectativas, crie objetivos e jamais desista deles.

Antes de concluir, a foto da equipe:

Na esquerda, José Vanz, Alexandre Vicenzi, Douglas Santos, Donizete (amigo), Marcos Souza, André Bampi (amigo).

Bem, no geral, todo evento da comunidade acaba sendo legal, você conhece pessoas, troca ídeias, descobre técnicas e tecnologias, etc. Devo dizer que foi um evento realmente bem agradável, brincadeiras a parte sobre café, todas as palestras foram de boas à ótimas, mesmo as com temas aparentemente mixurucas, não deixaram a desejar. E claro, ainda voltei para casa com cacarecos novos 🙂 .

Caso esteja interessado, as fotos e os materiais utilizados nas apresentações serão disponibilizados no site dos organizadores.