Internet das Coisas

A internet passou por várias mudanças importante desde que surgiu para o mundo, a ideia de comunição entre computadores evoluiu e hoje podemos conectar vários dispositivos como celulares, televisões, carros, videogames e etc..

Foi em 1991 que começou a discussão sobre a conexão de objetos, quando a conexão de TCP/IP e a Internet que conhecemos começou a se tonar acessível. Bill Joy, cofundador da Sun Microsystems, teve a ideia de conectar várias redes e dispositivos.E foi em 1999 que Kevin Ashton, do MIT, propôs o termo “Internet das Coisas” após dez anos de estudo e projetos, escreveu o artigo “A Coisa da Internet das Coisas” para o RFID Journal, e a partir dai o termo se popularizou.

Pórem irá evoluir ainda mais, segundo pesquisas da International Data Corporation (IDC), o número de dispositivos ou coisas que podem ser conectados à Internet está se aproximando de 200 bilhões, com 7% (ou 14 bilhões) já conectados à Internet e se comunicando por meio dela. Atualmente, os dados desses dispositivos conectados representam 2% dos dados do mundo inteiro. O IDC agora prevê que, até 2020, o número de dispositivos conectados chegará a 32 bilhões representando 10% dos dados mundiais.

A Internet das Coisas permite que praticamente tudo possa estar conectado a uma rede, Com o novo protocolo IPv6, será possível que vários dispositivos possam estar conectados a rede, devido a quantidade de endereços disponíveis ser muito superior a do IPv4. Conheça mais sobre o IPv6 aqui.

O grande desafio para os profissionais da área de segurança é conseguir gerenciar e garantir a segurança dessa quantidade de dispositivos, já que o desafios dos profissionais da área de desenvolvimento é criar aplicações para diferentes dispositivos (relógios, televisões, geladeiras e etc).

Empresas como a Dell, Cisco, HP, Intel, Samsung e entre outras, já se uniram em um grupo chamado Open Interconnect Consortium (OIC). Eles pretendem criar um protocolo comum para garantir o bom funcionamento da conexão entre os mais variados dispositivos. Wi-Fi, Bluetooth e NFC serão recursos desenvolvidos pela organização.

Veja um video feito pelo Nic.Br explicando sobre Internet das Coisas