Instalando o Spotify no openSUSE

O Spotify é um serviço de stream de música que oferece opção gratuita e paga. O aplicativo do Spotify está disponível para a maioria dos sistemas operacionais, inclusive Linux. Bem, Linux só em formato DEB o que deixa a desejar para quem usa distribuições não debian-like, como openSUSE, Fedora ou alguma outra distro baseada no Red Hat.

No caso do openSUSE existe um projeto a parte para tornar possível a instalação do Spotify. O spotify-installer é um projeto de código aberto que faz a conversão do DEB para RPM e alguns outros ajustes para permitir a instalação sem muitos problemas.

(mais…)

Novidades do kernel 4.0

Após a versão 3.19, Linus escolheu via enquete no Google Plus para pular para a versão 4.0 do kernel. A versão 4.0 deve ser oficialmente lançada em algumas semanas. Aqui estão algumas novidades desta nova versão:

  • Live patching: Este recurso permite aplicar patches no Linux com este ainda executando, desta forma sendo desnecessário reiniciar o sistema a cada atualização de algum módulo do kernel. Esta era uma feature a muito tempo esperada, e foi feita unificando as ferramentas Kpatch, da Red Hat e KGraph da SUSE.
  • O driver Radeon ganhou suporte ao DisplayPort e melhoria no suporte ao controle de resfriamento
  • O driver AMDKFD, responsável pelo suporte ao HSA (Heterogeneous System Architecture, que combina CPU com GPU), agora funciona com a APU Carrizo
  • Melhorias no driver Nouveau
  • Suporte ao driver Skylake da Intel foi melhorado
  • Suporte ao pNFS (Parallel NFS) para poder executar I/O em bloco ao invés de leitura e escrita
  • Melhorias no RAID 5/6 do Btrfs
  • Novas funcionalidades para o OverlayFS
  • Suporte ao SoC Quark da Intel
  • Suporte a novo hardware ARM
  • Suporte ao processador IBM z13
  • Melhor suporte a notebooks Toshiba
  • Melhorias no suporte a HID (Human Interface Device) da Logitech

Além destas, várias outras pequenas melhorias foram feitas. Só nos resta esperar a release oficial para sabermos se algum feature entrou de última hora. Até mais!

Fonte: Phoronix

Instalando o VLC no openSUSE

O VLC é um reprodutor multimídia livre, de código aberto, multiplataforma, que reproduz a maioria dos arquivos de mídia, bem como DVD, CD de áudio, VCD entre outros.

Por que usar o VLC?

Na minha opinião, ele é um dos melhores reprodutores de vídeo para o mundo Linux. Possui suporte a vários formatos de arquivos, legendas, dual áudio, entre outros add-ons.

Instalação

Você pode escolher entre o VLC dos repositórios Packman ou VideoLan.

Antes de instalar vamos verificar se o repositório Packman/VideoLan está habilitado. Para isso execute:

zypper lr

Caso ele não esteja habilitado execute o seguinte comando:

Packman

zypper ar -f http://ftp.gwdg.de/pub/linux/packman/suse/openSUSE_13.2/ "Packman Repository"

VideoLan

zypper ar -f http://download.videolan.org/pub/vlc/SuSE/13.2/ VideoLan

Note que não é recomendável utilizar os pacotes do VLC de repositórios diferentes. Então escolha habilitar apenas um.

Agora que já temos o repositório Packman/VideoLan habilitado vamos a instalação do VLC e seus codecs.

Execute o seguinte comando:

sudo zypper in vlc vlc-codecs

Após feito isto será solicitado que você confie neste repositório. Exemplo:

Do you want to reject the key, trust temporarily, or trust always? [r/t/a/? shows all options] (r): t

Escolha entre a ou t.

Após isto começará a instalação.

Após instalado você já poderá usar o VLC no seu openSUSE.

VLC

Espero que você tenha gostado. Se ficou alguma dúvida, deixe um comentário que responderemos.

Corrigindo problemas de conexão do zypper no openSUSE 13.2

Esta semana resolvi atualizar meu openSUSE para o 13.2. É notável as melhorias em relação a versão 13.1. O que mais me chamou a atenção foi o GNOME 3.14 muito mais fluído, sem problemas de transição.

Porém nem tudo é perfeito. Meu primeiro problema foi incompatibilidade com o dual graphics Intel + NVidia. Este problema não consegui resolver 100%, então deixarei para comentar em outra publicação. O segundo problema foi o fato de o zypper/Yast não conseguirem se conectar aos repositórios do openSUSE.

Basta você executar o comando abaixo:

sudo zypper refresh

Para ter o seguinte problema:

Download (curl) error for 'http://download.opensuse.org/distribution/13.2/repo/non-oss/content':
Error code: Connection failed
Error message: Failed to connect to download.opensuse.org port 80: Network is unreachable

Se você atualizou recentemente para o openSUSE 13.2, talvez você esteja na mesma situação que eu.

Pesquisando um pouco no fórum do openSUSE, você talvez encontre a seguinte solução:

Adicionar as linhas abaixo no arquivo /etc/sysctl.conf:

#disable ipv6
net.ipv6.conf.all.disable_ipv6 = 1
net.ipv6.conf.default.disable_ipv6 = 1
net.ipv6.conf.lo.disable_ipv6 = 1

E executar o comando abaixo como su:

echo 1 > /proc/sys/net/ipv6/conf/all/disable_ipv6

Pois bem, esta solução funciona… até você reiniciar o computador. Ou seja, toda vez após o boot você deve desabilitar o ipv6.

Mas e agora, como vamos corrigir isto? Bem, eu corrigi de uma forma muito simples, espero que funcione para outras pessoas.

Para desabilitar o ipv6 definitivamente, vá em Rede.

Rede

Após isto, escolha a sua rede, note que você tem que fazer isto para cada Wifi ou Cabo conectado, e desabilite a opção ipv6.

ipv6

Simples, não?

Espero que esta dica ajude outras pessoas, assim como salvou meu dia. 🙂

Conheça o que está por vir no openSUSE 13.2

Faltam apenas 12 dias para o lançamento oficial do openSUSE 13.2 e nada melhor do que dar uma espiada no que está por vir nesta nova versão.

O openSUSE 13.2 já vem com a última versão do GNOME, que é a 3.14. Nesta versão do GNOME foram feitos vários ajustes para melhorar a experiência do usuário, incluindo melhorias no gnome-shell e suporte a multi-touch.

GNOME Shell

Digitar algo na pesquisa do gnome-shell agora trará resultados para arquivos, documentos, notas, contatos, fotos e ainda fará cálculos (digite 22/7 e veja você mesmo).

Reprodução de Vídeo

O Totem, player de vídeo padrão, foi completamente remodelado. Agora ele mostra uma lista de vídeos em sua home e permite alternar para uma lista de canais de vídeo on-line com apenas um toque de um botão. Os controles de reprodução são agora apresentados como uma barra de ferramentas flutuante que se esconde automaticamente quando você não precisa dele, permitindo que o vídeo em reprodução possa ocupar toda a tela.

Video Player

Edição de Texto

O GEdit está com um novo visual, fazendo uso das mais recentes tecnologias do GTK+, incluindo uma barra de cabeçalho e um intuitivo botão pop-over “Abrir” que permite abrir documentos recentes. O GEdit mantém todo o seu poder e recursos de versões anteriores, mas agora com uma bela interface compacta.

gedit

Suporte a Geolocalização

Aplicações como Relógios, Tempo e Mapas agora possuem o apoio de geolocalização por padrão, detectando automaticamente a sua localização atual e apresentando informações referentes ao local onde você está.

geo

Suporte a direções no Mapas

O Mapas (disponível na versão 3.14.1) estava disponível apenas como um preview técnico no openSUSE. Agora ele recebeu novas funcionalidades, principalmente a de ser capaz de mostrar as direções para o curso e a capacidade de alternar entre a visualização do mapa padrão e uma visão de satélite.

Mapas

Novos aplicativos

O Polari e o Music são os novos aplicativos padrão para IRC e gerenciamento e reprodução de músicas. O Polari substitui o xchat e o Music substitui o Rhythmbox, aplicativos padrão até a versão 13.1. O xchat e o Rhythmbox ainda estão disponíveis para instalação.

Eu particularmente estou ansioso para testar esta nova versão e você?

Via openSUSE.

openSUSE 13.2: Chegou a hora de testar

Menos de três semanas se passaram desde o lançamento da primeira versão release candidate e já podemos sentir que estamos quase lá. Este é o momento certo para lembrar que ainda há muito trabalho a fazer e muita diversão para se ter. O Open Source é incrível, mas não tão impressionante como as pessoas que trabalham nele. Nada vai acontecer se você não fazer isso acontecer, então está na hora de sujar as mãos!

Cada versão do openSUSE é testada usando openQA, o que poupa os desenvolvedores de trabalho trivial e repetitivo. Mas, a fim de atingir o nível de qualidade que todos nós amamos das versões estáveis do openSUSE ​​é necessário muito mais testes. Nós gostaríamos de testar cada combinação de hardware, desde netbooks a super computadores. Então, por favor, dê uma olhada na planilha on-line que foi criada para organizar o teste manual, leia as instruções de testes e vamos caçar todos os bugs!

Via Blog openSUSE